Capítulo 11- Um ar para dois

-Você é incrivel Cindy. A garota mais linda que eu já vi em toda minha vida- sussurrou Leo, enquanto seguíamos até a mesa novamente.
Ele aproximou-se de mim sorrindo. Senti um frio na barriga e o coração acelerando. Não estava pronta. Ainda era muito cedo para beijá-lo.
-Já volto- disse rápido.
-Mas Cindy...
-Sabia que entenderia. Será rápido.
Corri em direção a sacada. Precisava de ar. Muito, muito, muito ar.
Encostei-me na grade e fiquei lá observando a lua. Estava incrivel. Cheia e brilhante, destacando-se das pequenas estrelas que a cercavam.
-A lua está linda hoje, não é mesmo?- disse uma voz masculina desconhecida.
Era um "irmão urso".
-Está. E então, qual sua desculpa para vir vestido com isso aí?- disse em tom de sarcasmo, ainda olhando para o céu.
-Falta de tempo, dinheiro e uma mamãe coruja. E você?
-Se eu lhe contar, você jamais acreditaria.
Ele sorriu. Desviou seus olhos para a lua novamente. Ficamos em silêncio por um tempo.
-Está fugindo de alguém que quer lhe beijar também ou nossas semelhanças terminam na fantasia?- disse observando-o pela primeira vez.
Ele me olhou nos olhos. Nossa, era realmente encantador. Seu rosto era delicado, os olhos escuros e a pele branquinha. Era lindo. Ou isso ou o refrigerante que bebi não era apenas refrigerante.
-Na verdade eu não tenho um par, senhorita ursa fugitiva.
Nós rimos.

- E então, porque não quer beijá-lo?- disse ele em tom de psicólogo.

Ah! Como eu odiava psicólogos.

-Talvez porque ele seja o primeiro cara que não é da minha família a sair comigo.

-Ou talvez porque tenha medo de que as coisas saiam erradas.

-É, pode ser.

Ele sorriu com orgulho.

-Pare de rir da minha cara! Isso é trágico- disse eu, fingindo estar zangada.

-É mesmo? E porque é trágico?

-Enquanto eu estou aqui na rua conversando com um cara vestido de urso, há outro lá dentro de príncipe esperando por mim!

-Então porque ainda está aqui?

-Porque eu não quero voltar para lá.

-E isso é ruim?

-Aham.
Ele sorriu de novo. Então respirou fundo e me disse uma coisa que jamais saiu de minha mente.
-Não precisa fazer algo só para não desapontar alguém. Faça o que é certo. Vá até lá e faça o que é certo. Seja sincera consigo mesma e também com ele.
Senti que o menino urso estava com toda a razão. Fui seguindo para a casa lentamente. Meu coração voltou a bater forte.

 

tags:
publicado por cinderelashakespeariana às 17:23
link do post | comentar | favorito