Capítulo 14- Os telefones chamam tristezas

Depois de toda aquela sujeira e alvoroço decidi tomar um banho bem quente para relaxar. Afinal, era sábado de manhã, eu estava sozinha em casa, sem ninguém para me irritar. Aquele dia seria perfeito de qualquer jeito!
Corri para o banheiro animada. A banheira estava lá, olhando pra mim com cara de "eu estou tão quentinha *-*". Já mergulhava meu pé no paraíso quando o telefone tocou e esbravejou desesperadamente.
-Alô. - atendi, com tom de "eu estava feliz até você ligar".
-Até que enfim! Ah, meu bem, tentei ligar o dia todo- disse mamãe, com um tom estranhamente amoroso.
-Mas são 10 horas da manhã!- esbravejei, tentando quase que desesperadamente fazê-la irritar-se comigo.
- Eu sei meu anjo, é que...- falou ela, com tom pesaroso.
A única coisa que fazia mamãe ser simpática comigo, era uma grande e triste TRAGÉDIA.
Estremeci. Algo havia acontecido...
-Meu bem, não sei nem como lhe dizer isso..
-Fale logo mamãe!
-Bom, seu irmão.. ahn, ele está desaparecido!- falou bem rápido, tentando diminuir o choque.

Não funcionou.

publicado por cinderelashakespeariana às 00:28
link do post | comentar | favorito