Capítulo 1- A cegonha!

Mamãe tinha 35 anos e dois filhos homens quando descobriu que estava grávida pela 3ª vez. Um acidente, é claro. Papai jamais imaginou que aquilo fosse acontecer. Seus planos de viajar nas próximas férias de verão estavam arruinados. Bem que ele tentou convecê-la a ganhar a criança no meio de uma praia deserta, para "celebrar" o amor. Mas é claro que todos sabiam que ele faria qualquer coisa para ir na maldita viagem.
Não funcionou.
James, meu irmão mais velho, decidiu fazer vestibular naquele ano. O que era uma grande conquista, já que levara oito anos para completar o ensino médio.
Mamãe estava tão animada com a novidade que esqueceu do resto do mundo. Do anticoncepcional também, provavelmente.

Na minha casa, ou melhor, no lar dos Anschau só falava-se do futuro doutor da cidade. James havia passado!
Uma semana depois, papai em seu distúrbio mental de preocupação resolveu verificar os comprimidinhos "evita-nenem" que mamãe tomava constantemente. Foi então, que o pobre coitado descobriu que a dona Gianne andava com a cabeça (e a boca) bem longe da prevenção.
Só então, no dia 27 de junho de 1994, na revisão médica da mamãe, a familia Anschau descobriu que teriam um novo membro dentro de 8 meses.

Era uma menina.
O alvoroço durou meses. Todos queriam dar opinião nas roupas, no quarto e principalmente no nome da pobre coitada que estava para nascer.
Tentaram de tudo. Coisas indefinidas como: Jamiga (mistura de James e Rodrigo, meus irmãos), Ginérgia (mistura de Gianne e Sérgio, meus pais) e Cinta-liga (ideia de James, após assistir durante uma hora e meia um programa sobre roupa íntima) apareceram ao longo do tempo.

No fim, depois de pesquisas intermináveis em livros e internet, quando mamãe já estava rendendo-se aos nomes comuns como Mariazinha ou Felisberta (se isso lá é nome...), uma músiquinha infeliz tocou no rádio, dando asas a imaginação pequenina dos Anschau.
Ela dizia: "Ai, ai, ai minha Cinderela dos contos mais tristes![...]"
E então, em uníssono, todos gritaram: Cinderela, este é o nome!
Para a minha infelicidade ninguém fez objeções à escolha.
A história de Cinderela Anschau,eu, começava.

 

tags:
publicado por cinderelashakespeariana às 18:14
link do post | comentar | favorito